Weby shortcut
Youtube

Thiago Santos

Determinantes da Diversidade e Composição de Cupins no Bioma Cerrado

Thiago Santos

Resumo:
Cupins ou térmites(Ordem Isoptera) são insetos sociais com cerca de 2800 espécies descritas, sendo que pouco mais de 500 ocorrem na região Neotropical. Os cupins se alimentam de matéria vegetal em diferentes estados (e.g. raízes de gramíneas e troncos de árvores mortas), tendo um importante papel na ciclagem de nutrientes e formação do solo. Esses insetos ocupam quase todas as regiões temperadas e tropicais do planeta representando um dos grupos dominantes da fauna desta última. A importância ecológica de cupins no Cerrado tem sido pouco estudada e os inventários que existem concentram em poucas localidades. Quando se analisa os determinantes da diversidade, os efeitos da relação espécie-área (SAR) devem ser levados em consideração. Esta relação nos diz que áreas maiores suportam diversidade maior. Isso se deve a vários fatores, por exemplo: áreas maiores suportam populações maiores de cada espécie e desta forma, populações mais resistentes a estocasticidade demográfica portanto mais difíceis de serem extintas; e áreas maiores possuem diversidade de hábitats maior, o que possibilita a co-existência de espécies que de outra forma não estariam juntas. É necessário então testar como os organismos respondem a heterogeneidade, para avaliar os efeitos de diversidade de habitat. Para testar os efeitos da área per se, é necessário evidenciar, por exemplo, como a abundância de recursos varia localmente em diferentes áreas e como os organismos respondem a essa variação. Entretanto, a estrutura da comunidade de cupins pode ser regulada por processos biológicos diferentes dos que regulam outros animais, por estes organismos serem detritívoros e não controlarem a regeneração do seu recurso alimentar. As espécies de cupins apresentam um alto grau de endemismo nas regiões neotropicais e afrotropicais (78% e 77% do total de espécies respectivamente). A estrutura das assembléias de cupins é influenciada por efeitos locais como chuva, tipos de vegetação temperatura e altitude, porem existem padrões regionais e globais de diversidade que se sobrepõem aos padrões locais. Estes padrões podem ser devido tanto a fatores em escala de tempo ecológico quanto a fatores históricos que remontam a alterações passadas no clima e outros fatores ecológicos.

<       Voltar