Weby shortcut
Youtube

Gabriela Cristina Cantisani Padua

Modelos de Seleção de Áreas Prioritárias Para Conservação da Diversidade Genética Para Alvos Múltiplos

Gabriela Cristina Cantisani Padua

Resumo:
A conservação da biodiversidade nos seus vários níveis passou a ser uma das principais metas dos pesquisadores e ativistas preocupados com a questão geral do meio ambiente. Principalmente considerando que essa conservação implica maior estabilidade, funcionalidade e produtividade dos ecossistemas. Um dos desafios fundamentais da biologia de conservação envolve o desenvolvimento de princípios teóricos e métodos para o design de reservas naturais. Padrões de diversidade são indicadores de processos populacionais e então, quando possível, ambos dados ecológicos (abundância, taxas de crescimento, estocasticidade demográfica) e genéticos (fluxo gênico e fitness) devem ser incorporados no design de reservas garantindo a viabilidade dos alvos de conservação. A genética da conservação tem focado na persistência ecológica e evolutiva dos alvos (espécies ou outra unidade intraespecífica), e nenhuma solução generalizada, de onde concentrar esforços de conservação para alvos múltiplos foi alcançada. A necessidade de incorporação de dados genéticos no planejamento de conservação é urgente e, tais dados poderiam ter papel explícito e integrado na conservação, gerando como resultado final uma melhor representação e persistência de toda a biodiversidade regional. A presente proposta pretende testar o procedimento de otimização para estabelecimento de redes de reservas para conservação da biodiversidade levando em consideração a estrutura genética da população proposto por Diniz-Filho e Telles (2006). Para tal, dados da estrutura genética populacional serão incorporados à base de dados de carnívoros na América, e utilizados no design de redes de reservas, com o intuito de conservar simultaneamente a variabilidade genética em múltiplas espécies. A base de dados utilizados no trabalho consiste do range geográfico de 70 espécies de Carnivora terrestres do Novo Mundo, compilados de várias fontes distintas, anteriormente utilizados em Diniz-Filho & Tôrres (2002). Junto a esta base de dados, serão incorporados dados de variabilidade genética destas 70 espécies, obtidas por revisão bibliográfica. Cada espécie poderá, então, se subdividir de acordo com a variabilidade genética encontrada. As subdivisões das espécies serão consideradas também um alvo de conservação e incorporadas na meta das reservas propostas.

<      Voltar       Proximo>>